quinta-feira, fevereiro 24, 2005

Desilusão

Ontem, foi para mim um dia em que mais uma vez a desilusão com o outro, me fez descrer novamente na possibilidade de qualquer espécie de relacionamento entre duas ou mais pessoas em quem confiamos, e que de repente por uma razão ou outra nos traem, fazendo-nos sentir também traidores…

Escrevo isto hoje, porque queria primeiro esfriar as emoções, pôr em ordem o pensamento, ver ou tentar entender as razões, de tudo o que aconteceu.

Infelizmente depois de uma noite em claro, levantei-me do mesmo jeito, desiludida, ás escuras e com o sentimento de descrença e de nada valer a pena!...
Por que será, que mesmo remando contra várias marés, conseguindo manter o barco mais ao menos em cima, vem algo que nos afunda completamente, por mais insignificante que possa ser para os outros?!

Eu não sei a resposta, e como não consigo sentir-me bem, nem sequer mais ou menos, vou tentar viver estes três dias sem pensar em nada, vazia, pois tenho algo importante a fazer, depois então talvez consiga encontrar a resposta e a solução.

Enquanto não conseguir ser um pouco mais eu de novo ,e a tempestade não passar, o meu blog vai ficar inactivo.
Não me apetece fazer mais nada, nem escrever, nem postar os escritos antigos, nem música, acho que deixou tudo de ter importância de novo.
Acho que a palhaça terá que de novo vestir a farda de palhaço, rota, esfarrapada, mas lá terá que ser…
Até um dia! Se a farda aguentar até lá....! Senão...algures em um asteróide, onde um menino "ama uma flor" , o "essencial é invisível ao olhos", e como aprendeu na terra com a sua amiga raposa "os homens não tem amigos, pois não sabem cativar", eu estarei lá.
Posted by Hello

5 Comments:

Anonymous Anónimo said...

DO VAZIO As vezes somos possuídos por uma sensação de tristeza que não conseguimos controlar. Não importa o lugar onde estamos - no trabalho, junto da pessoa a quem amamos, numa festa - mas, sem qualquer explicação, o mundo perde seu colorido, e a vida esconde sua magia. Nestes momentos - nos fala Karen Casey - nada melhor que olhar para dentro de nós mesmos. Ali está uma criança com medo, que não sabe bem o que está fazendo aqui, porque quase não é ouvida e consultada. Vamos ser tolerantes com esta criança. Vamos deixar que ela tome as rédeas por quanto tempo for necessário, até que sentir-se de novo amada. Em breve, nossos olhos voltam a brilhar. E, a partir daí, se não perdemos mais o contacto com esta criança, não perderemos mais o sentido da vida. ...A foto está linda!...Amanhã um novo dia nascerá...Parabéns!...5****

2/27/2005 7:31 da tarde  
Blogger Teresa said...

Clarinda:
A vida nem sempre é justa connosco, e as pessoas também nem sempre o são. Contudo, muito importante é saber superar o negativo e nunca nos arrependermos do bem que fazemos... o "Amor" é incondicional, e ,embora nem sempre correspondido, há que seguir em frente sempre com a consciência de que estamos no caminho certo e de que amanhã o sol voltará a nascer ainda mais belo, mais esplendoroso...
Dizes não ter vontade para nada; estarás a ser justa contigo? Pensa, se não fizeres as coisas por ti, se não lutares por ti, quem o fará? Ama-te acima de tudo e de todos. Força!

Um grande beijinho

Teresa

3/25/2005 2:57 da tarde  
Blogger Menina_marota said...

Por vezes a Vida, demonstra por caminhos que não queremos, aquilo que pretende de nós. Não desistas!
A vida é uma imensidão, qie nos vai fortalecendo aos poucos.

Um abraço e um sorriso :)

10/07/2005 7:17 da tarde  
Blogger Thiago said...

Infelizmente quando menos esperamos a desilusão vem-nos bater à porta...resta.nos mergulhar numa onda para a limpar e voltar à tona, mais fortes desta volta :-)

um beijo deste teu filho que te adora acima de tudo:_)

2/11/2006 1:19 da manhã  
Blogger numerusclausus said...

O essencial é invisivel aos olhos. A própria Bíblia fala de que aquelas coisas mais verdadeiras são as mesmas que são invisíveis. E o que vemos muitas vezes é tão falso.
Lembro-me dum filme italiano antigo, o Sheik Branco. Uma mulher persegue o seu sonho de felicidade e amor, corre tudo, desilude-se... mas só no fundo do poço descobre que a felicidade e o amor estavam mesmo junto a si. Era o filme preferido da grande Vera Lagoa, embora o filme em si mesmo nao seja nada especial...mas torna-se em tal depois de perceber a "moraleja", como dizem os espanhóis. Apesar disto, também eu me sinto muitas vezes só e traido. Consequências de me dar sem nada receber, perdendo até a noção de quem sou já que o que tinha dado me fugiu por entre os dedos. Coisas de amar...

10/13/2006 5:51 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home