sexta-feira, dezembro 22, 2006
















Tu que dormes a noite na calçada de relento
Numa cama de chuva com lençóis feitos de vento
Tu que tens o Natal da solidão, do sofrimento
És meu irmão amigo
És meu irmão

E tu que dormes só no pesadelo do ciúme
Numa cama de raiva com lençóis feitros de lume
E sofres o Natal da solidão sem um queixume
És meu irmão amigo
És meu irmão

Natal é em Dezembro
Mas em Maio pode ser
Natal é em Setembro
É quando um homem quiser
Natal é quando nasce uma vida a amanhecer
Natal é sempre o fruto que há no ventre da Mulher

Tu que inventas ternura e brinquedos para dar
Tu que inventas bonecas e combóios de luar
E mentes ao teu filho por não os poderes comprar
És meu irmão amigo
És meu irmão

E tu que vês na montra a tua fome que eu não sei
Fatias de tristeza em cada alegre bolo-rei
Pões um sabor amargo em cada doce que eu compre
És meu irmão amigo


Carlos Ary dos Santos

8 Comments:

Anonymous Márcia(clarinha) said...

Que beleza de poema querida!
FELIZ NATAL!!
Que os anjos digam amém para a saúde, paz, amor e harmonia em familia.
Tudo de bom minha flor
lindos dias
beijosssssssssssss

12/22/2006 1:58 da tarde  
Blogger Tongzhi said...

Que força que este poema tem. Ary era isso mesmo, um homem cheio de força e que a sabia transmitir.

Festas felizes, e obrigado por me acompanhar na caminhada!

12/22/2006 2:10 da tarde  
Blogger Um outro olhar said...

é isso tudo
...

Boas festas e um Feliz Natal

:)

12/22/2006 6:21 da tarde  
Blogger Thiago said...

Que bonito minha Mãe :-) excelente escolha. beijo

12/22/2006 8:03 da tarde  
Blogger secret him said...

Um Santo Natal para os meus queridos amigos!

Saudações
secret him

12/23/2006 12:51 da manhã  
Blogger dcg said...

Vim deixar um beijinho de feliz Natal!

12/24/2006 6:59 da tarde  
Blogger Biscoito said...

Confesso que tenho muitas saudades das nossas conversas e até daquele chá maravilhoso que tomámos os 3.
Temos de repetir.

Eu sei que me afastei, mas não a esqueci de forma alguma. O tempo é terrível e confesso que sou muito má a lutar contra ele. Sinto-me completamente impotente e fico muito triste quando percebo e me dou conta de quanto tempo o tempo me roubou.

Adorava poder agora estar a abraçá-la...Mas vamos fazer de conta que estamos pertinho...aqui vai um beijo enormee e um abraço apertadinho da sua amiga que apesar de distante não a esquece.

Espero que o próximo ano seja muito melhor que este e que consiga sorrir muito!

Sofia

12/28/2006 11:50 da tarde  
Blogger Tongzhi said...

Maria Clarinda
Aqui deixo um abraço com votos de um bom 2007.

12/29/2006 6:30 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home